Campeão olímpico nos 1500m em Pequim, Kiprop é pego no doping e fica suspenso por quatro anos

O queniano Asbel Kiprop, tricampeão mundial (2011, 2013, 2015) e campeão olímpico de Pequim 2008 na prova dos 1500m, testou positivo para a substância EPO (eritropoietina) em exame realizado fora de competição, em Novembro de 2017. O atleta foi suspenso por quatro anos, após anúncio oficial neste sábado pela Unidade de Integridade do Atletismo (AIU em inglês).

Kiprop alegou que a amostra do teste havia sido adulterada, mas os argumentos apresentados pelo corredor não foram aceitos pelo órgão responsável do caso, e ficará fora do próximo mundial de atletismo, que acontece em Outubro, em Doha, e também dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no próximo ano. A suspensão vai até Fevereiro de 2022. O atleta tem direito de apelar para a Corte de Arbitragem do Esporte.

Além do resultado positivo, o atleta infringiu os protocolos de controle antidoping pois foi notificado com antecedência sobre a realização do exame. Kiprop ainda usou o treinamento em altitude elevada como justificativa para o aparecimento da substância.

O Quênia tem sido manchete de casos de doping nos últimos anos e tem colocado em dúvida a qualidade do controle antidoping no país. Entre outros atletas do Quênia que estão suspensos por doping, o medalhista de bronze nos 800m no Mundial de Londres 2017, Kipyegon Bett, e a tricampeã da Maratona de Boston, Rita Jeptoo.

Fonte: Globo Esporte